Cádiz e Sevilha – por Mi

A Dani contou o geral da nossa viagem. Eu vou dar minhas impressões sobre alguns pontos que me marcaram nesses quatro dias encantadores…

Ói, ói o trem… Para ir a Sevilha e Cádiz fiz minha primeira viagem de trem. No dia anterior treinei o caminho até a estação para ter certeza de que não me perderia entre as diversas escadas da Atocha Renfe e nem me atrasaria para o embarque. Calculei o tempo para chegar trinta minutos antes do trem partir, o que foi bom: o embarque, semelhante ao de um voo, foi feito vinte minutos antes do horário da saída.

Procurei o meu vagão e o meu lugar. Sentei na janelinha. Com a poltrona espaçosa e mais confortável que as dos ônibus, pude ler traquilamente e observar a paisagem. O trem balança muito pouco. O único porém foi ter que viajar “de ré”.

Havia uma cafeteria que estava “a su disposición en el coche 4“, segundo indicava o letreiro vermelho à minha frente.  Fiquei curiosa pra conhecer, mas tive vergonha de ter que acordar a moça que dormia na poltrona ao lado para chegar ao corredor. Comi os lanchinhos que tinha trazido de casa.

Que delícia chegar em Cádiz e sentir calor depois de um mês com dias de frio e de mais frio ainda. Melhor foi a emoção de rever a praia (e quepraia!), o mar e as amigas.


Fiquei encantada com as ruas estreitas e graciosas de Cádiz.  É uma delícia caminhar à noite pelas ruas de paralelepípedo, pelas praças… nem nos importamos de nos perder algumas vezes pela cidade. Além de super agradável, sempre havia um andaluz simpático pra nos dar uma ajuda. Com sorte, ainda encontrávamos um grupo de…

Chirigotas! Essa coisa linda de nome engraçado que anima a temporada carnavalesca de Cádiz! Os grupos de artistas fantasiados se reúnem num canto da rua e começam a cantoria que traz uma história humorada. As pessoas na rua vão se amontoando em volta para apreciá-los e rir das suas tiradas engraçadas. Não entendi quase nada do que cantavam. Um tanto pela língua, outro tanto porque os chirigotas geralmente fazem piadas relacionadas à cidade ou ao país, dizem. Mas não importa. Se eu ver uma rodinha de gente na rua, ouvir uma musiquinha meio declamada seguida de risadas da plateia, vou correr pra admirar os artistas!

Carnaval à brasileira – Antes de chegar à Cádiz, quase me esqueci de que era carnaval no Brasil. Pensei que a temporada de festas ia passar em branco, mas a nossa anfitriã,  seus colegas de apê e suas colegas brasileiras (sempre!) garantiram uma boa festa pelas ruas da cidade, com direito a vinho do Carrefour, rum com Nestea e espanhois indo hasta el suelo! suelo! suelo! – ou quase.

O que a nucada disse sobre Cádiz é verdade. Ela é apaixonante, não vejo a hora de voltar. Mas antes disso, rumamos a…  Sevilha!

Já esperávamos uma cidade linda. Mas Sevilha nos surpreendeu não só pela arquitetura e belezas naturais como por seus habitantes. Foi depois de conhecer a Universidade de Sevilla que nos demos conta do quanto só tem lindos em Sevilha. Gente, aqui não tem Puyol, você sai na rua e só encontra Casillas! Ou isso, ou a gente estava realmente encantada com a cidade, vendo tudo mais bonito… Mas, tudo tem seu lado ruim.

Qué pasa, hombre? Depois de começar a noite migrando de bar em bar, seguindo o costume espanhol, ficamos enfadadas com os chicos e suas intentadas sem graça ou machistas. Com o mapa da cidade em mãos, fomos em busca do “Buda”, que logo depois descobrimos que se chamava “Kudetá”. Na fila, surge o seguinte diálogo:

Chico aleatório #1: Vocês estão com eles? – aponta para chicos aleatórios #5, #6, #7

Nós: Não, porque?

C. A. #1: Se vocês quiserem, podem entrar com a gente. Dizemos que estamos em cinco.

Nós: E… porque?!

C. A. #1: Ah, porque as meninas que entram sozinhas na balada não são bem vistas.

Dani, já irritada com a experiência nos bares, fica indignada e desabafa – em português: #@$%&#¨!!

Eu: Tá, mas… porque?!

C.A. #1: É porque a festa parece melhor quando tem mais meninas.

Ok. Chico aleatório #1, sua resposta não nos convenceu. Ficamos indignadas com a sua lógica de pensar, mas continuar a questioná-lo seria em vão. Em cidade desconhecida e país estrangeiro, achamos melhor aceitar a gentileza. Assim que entramos, nos dispersamos e fomos dançar à vontade. Essa vai pra lista de fatos #obrasilémuitomassa…

Na hora de voltar, nos guiamos pela catedral iluminada. Nosso ponto de referência pra chegar ao hostel.

Não posso ficar nem mais um minuto com você… Hora de ir embora. A Dani saiu umas 5h e eu dormi mais um pouquinho. Caminhei até ferroviária tranquila de que chegaria meia hora antes da saída do trem, às 7h55. Eis que ao chegar lá eu olho o painel de saídas e vejo um trem para Madrid com saída às 7h15. Olho pro painel. Bilhete. Painel-bilhete-painel-bilhete. Sim, era o meu trem e já eram 7h30, ou seja, lá se foi o meu trem. A viagem estava tão boa que eu quis ficar um pouco a mais em Sevilha, só pode. Dei uma de Maranhão e perdi o trem de volta pra casa por um pequeno equívoco: a saída era 7h15 e a chegada em Madrid às 9h55. Eu só troquei os minutos, só isso…

Depois do susto e do desespero, consegui pegar o trem das 11h45. Deu pra adiantar a leitura do texto que iria apresentar no dia seguinte  sobre “Politeness in Britain” e conversar com a senhora inglesa que perguntou o que eu estava estudando, e compartilhou a sua estranheza quanto ao jeito pouco polido dos espanhois.

Dormi quase a viagem inteira de volta. Dessa vez não viajei de ré e nem lembrei da cafeteria no vagão 4, mas tive que dormir com um casal de desconhecidos nas poltronas à frente me olhando…

Quero muito voltar e conhecer melhor o sul da Espanha! Mas antes, vamos a Valência! 😉

Hasta luego!

Anúncios
Categorias: Uncategorized | 3 Comentários

Navegação de Posts

3 opiniões sobre “Cádiz e Sevilha – por Mi

  1. ai, sua linda, adorei o post, super fluente e divertido!

  2. Camila Paris

    Olá! Tudo bem?

    Será que você pode me dar algumas informações?

    Eu estou indo com uma amiga para Cadiz em novembro para fazer um curso de Espanhol. Nosso voo vai para Sevilla e depois disso gostariamos de pegar um trem para chegar a Cadiz.

    Ouvimos dizer que já podemos deixar comprado o nosso bilhete de trem, porém, nao sabemos como fazer isso… você saberia como nos ajudar? como poderiamos comprar os nossos bilhetes de trem antes de sairmos do Brasil para garantirmos que teremos a passagem no dia que chegarmos?

    Muito obrigada pela ajuda e desculpa o incomodo!

    Camila

    • milenalumini

      Oi Camila!
      Quando fui pra Sevilha e Cádiz comprei meus bilhetes antecipadamente, pela internet, e recebi pelo correio em Madrid.
      Talvez dê pra comprar pelo site do Renfe e imprimir diretamente pelo email.
      Mas, sinceramente, acho que isso não é necessário.
      Quando fomos de Sevilha pra Cádiz compramos os bilhetes na estação pouco antes da partida do trem.
      Como as cidades são próximas, há vários horários de trem o dia todo. E acho difícil que algum deles lote…
      Boa viagem, e aproveite a Espanha!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: