Cádiz e Sevilha – por Dani

Dia 22 de fevereiro, quarta-feira, semana quase sem aulas por conta de dias festivos e carnaval. Como planejado, a Mi chegou de trem de Madrid até Cádiz, e eu peguei avião de Santiago da Compostela até Sevilha, e daí fui de trem até Cádiz. Fui de Ryanair, e todo o processo de viajar de voos de baixo custo tem o seu perrengue, mas isso rende outro post outro dia.

Em Cádiz, ficamos no apartamento da Luisa Nucada, nossa amiga do Jornalismo da UFSC que está de intercâmbio lá. A Mi e eu adoramos o veranito, andamos pelas ruas sem blusa, curtindo um sol maravilhoso. Conhecemos os inúmeros parques e praias de Cádiz, subimos à torre da Catedral, onde dá pra ver toda a cidade, com destaque para o mar, claro, e para os terraços charmosos das casas. E aproveitamos a noite, é claro. A Nucada nos apresentou mais duas brasileiras, e uma francesa que é sua companheira de apartamento (tão caliente ou até mais quanto as brasileiras…), e fomos conhecer o carnaval de Cádiz. À parte de pessoas fazendo xixi nas ruas, em todos os cantos possíveis, foi tudo muito divertido. Pessoas fantasiadas, artistas independentes animando a galera, e claro, as chirigotas, que são pequenos grupos de cantores que satirizam, divertem ou simplesmente chamam a atenção de quem passa.

Terraço da casa da Nucada. Curtindo um sol e o verãozito da Andaluzia!

Brasileiras em Cádiz! Nucada (nossa guia), Milena e eu no passeio marítimo.
Em ritmo de carnaval...

Em ritmo de carnaval...

Uma das "chirigotas", grupos de cantores pelas ruas durante o carnaval

Visão da torre da Catedral de Cádiz

Dia 24, dia de ir a Sevilha, a capital andaluza. Quase duas horas de trem, e mais calor, que delícia. Ficamos procurando por quase uma hora nosso hostel, que ficava numa rua estreita e escondida, mas em ótima localização (graças às dicas da nossa colega Marina, que ficou de intercâmbio na cidade no ano passado). Nós nos demos o direito de almoçar bem, num dos inúmeros restaurantes charmosos do centro velho de Sevilha.

Nosso almoço: paella, salada, pescado, "tinto de verano" e de sobremesa, um flan delicioso!

Energia reposta, fomos descobrir um pouco da cidade. Vimos a Catedral de Sevilha, de estilo gótico (bonita, mas pra mim nada supera a de Santiago da Compostela), visitamos a Torre de Oro, onde há um Museu do mar e onde se pode subir pra contemplar do alto a cidade. Passamos pelos inúmeros e grandiosos parques, e como quem não quer nada, entramos na Universidade de Sevilha, só pra conhecer mesmo, e descobrimos uma exposição de arte bem curiosa.

Catedral de Sevilha, declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1987. A construção da catedral começou no início do séc. XV. É onde se encontram o corpo de Cristóvão Colombo e do rei Fernando III de Castela.

Ao fundo, a Torre de Oro, construída no séc. XIII e onde fica o Museu Marítimo de Sevilha

Topo da Torre de Oro. Ao fundo, o rio Guadalquivir. A torre tem esse nome por causa dos desaparecidos azulejos dourados durante a época muçulmana.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pra finalizar o dia, colocamos como meta conhecer a “Plaza España” de Sevilha. Como em quase toda cidade espanhola há uma praça Espanha, não custa ver como era a da capital andaluza né? Depois de erros no caminho, viradas de mapa e muita caminhada, chegamos. E COMO VALEU A PENA! Aquilo sim, parecia verdadeiramente uma praça da Espanha, enorme, com catedral, palácio antigo, representação em ladrilhos das principais cidades espanholas, ESTUPENDO! Um lugar que nos fez pensar: “se morássemos em Sevilha, com certeza voltaríamos lá mais vezes…pra ler, descansar, pensar na vida…ou simplesmente apreciar toda essa beleza…”.

Catedral na Praça da Espanha

Nossas máquinas não conseguiram captar a beleza e a grandiosidade da Praça da Espanha em Sevilha.

À noite fomos migrando de bar em bar na região sugerida pela recepcionista italiana do nosso hostel, mas queríamos dançar, uma balada mesmo. Acabamos parando numa balada tipo El Divino em Floripa, por 8 euros cada, com direito a uma consumação. Música eletrônica, pop, um pouco de tudo. Foi a primeira balada boa que peguei desde que cheguei aqui na Espanha. Com a vantagem de estar com uma amiga brasileira sem frescura, do lugar ser bem bacana, e digamos, do público bonito do lugar (mulheres, vocês me entendem…), foi uma noite e tanto. Dançamos horrores, e só fomos embora às 6h porque ainda tínhamos um dia de turista pela frente. Bem aproveitado.

Na tarde do dia seguinte, o destaque do nosso passeio foi conhecer a Plaza de Toros de Sevilha, com uma visita guiada, onde descobrimos como funciona a corrida dos touros e toda a história dessa tradição.

Interior da "Plaza de Toros". A partir de abril começam as corridas e os espetáculos.

A capa de cor vermelha que leva o toureiro é apenas uma questão de tradição, já que o touro não identifica outras cores senão o preto e o branco.

Cabeça real da mãe de um touro que matou a um toureiro. É assim que se fazia: matavam a pobre da mãe do touro quando este matava um toureiro. Era pra que ela não tivesse mais "filhos assassinos". Mas, como a Mi bem observou, não matam a mãe do toureiro se ele mata o touro, né?

Olha como começa a oração do toureiro...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

À noite, assistimos a uma apresentação de flamenco tradicional, com canções do século XVIII. Ritmo incrível dos dançarinos e de todo o grupo, ficamos fascinadas, de boca aberta. Os dançarinos dramatizavam uma história de amor impossível entre uma sapateada e outra.

Show de flamenco tradicional, pensado pra turista mesmo.

No domingo pela manhã, 26 de fevereiro, foi dia de regressar à rotina, com a ideia na cabeça de que cada céntimo de euro por essas viagens valeu a pena, e levando essa energia andaluza inigualável em nossa bagagem. E claro, levamos também a vontade de fazermos mais viagens juntas. Que venha a semana santa! (nosso destino é Londres, Veneza e Milão, torçam por nós!).

SALUDOS!

Anúncios
Categorias: Uncategorized | 2 Comentários

Navegação de Posts

2 opiniões sobre “Cádiz e Sevilha – por Dani

  1. Ju

    Amei o blog meninas!!! que delicia ler as histórias de vocês… os posts da Mi eu consigo ouvir ela falando…ai que saudades amiga!
    aproveitem MUUUUUUUITO intensamente cada experiencia (em todos os aspectos hehehe)

    Mi, beijo grande amiga…saudade enorme…quero muuuuitas histórias e pelo menos uma semana de intensivo de volta de viagem com vc!

    beijos

    Ju.

  2. Amanda Puchille Pinha

    Adorei o post Dani!! Me ajudou a me programar antes de ir pra Sevilla!
    Eu simplesmente AMEI Sevilla!! Nem estava esperando muito desta cidadezita, mas gente que demais!! Um dia ainda vou fazer um tour pela Andaluzia e conhecer todas essas cidades! A vibe daquela região é boa demais =D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: