“Como assim, vocês não jogam o papel na privada?”

(Já to postando de casa, agora já tenho internet:)))

Nessa semana começaram as aulas de espanhol para os estrangeiros. Começamos a discutir sobre os costumes de cada país, e os conceitos pré-formados com os quais a maioria vem pra Espanha (país dos toureiros, de gente falante e animada, das tortillas, da sesta…). Daí veio a questão do “lixo do banheiro”. Comentei com a professora que achei estranho não ter lixo no banheiro do apartamento em que vivo e por isso havia comprado um para jogar os papéis depois de fazer 1 ou 2, como é natural no Brasil. Apesar da cara estranha dos meus companheiros de apê, ninguém me impediu de fazê-lo.

A professora de espanhol fez uma cara de nojo e asco, que me assustei. “Como, vocês ficam guardando o papel com m…. e só depois jogam?”. Disse que senão fizéssemos isso, entupia tudo, e ela me aconselhou a tentar entrar na vibe do costume europeu e jogar tudo na privada mesmo, porque é mais higiênico, assim vai tudo pro ralo de uma vez. Então ta né? Depois de muuuitas risadas na sala, e da cara de asco também das colegas francesa e alemã após meu relato, cheguei em casa e tirei o lixo do banheiro, e agora já consigo jogar o papel higiênico usado na privada sem tanta culpa. Mas se rolar entupimento, aí não quero nem saber!!! Estranhamentos à parte, eu agora não acho nem nojento, nem normal. Nos primeiros dias, acho que como quase todo estrangeiro em terra estranha, a tendência é reclamar e achar exótico tudo que sai do nosso padrão. Agora to deixando de achar “estranho” ou “exótico”, pior ou melhor, só acho diferente.

Carnaval em Xinzo de Limia
Aqui também é carnaval como no Brasil, nessa semana praticamente não tenho aula por conta disso. No sábado, 18,  fui com uma excursão dos Erasmus a Xinzo de Limia, um povoado da cidade de Ourense, terceira maior e mais povoada da comunidade da Galícia. Fica a umas duas horas de ônibus daqui de Pontevedra. Acompanhamos o carnaval de rua de lá, com marchinhas, e com o pessoal fantasiado mesmo, tudo muito elaborado. Algumas famílias iam com seus filhos com todas as fantasias iguais, um capricho só. Além das músicas típicas, tocou (e muito), é claro, AI SE EU TE PEGO. O mais engraçado é ouvir o pessoal cantando na maior empolgação e com um sotaque, digamos, beeem diferente, ainda que a maioria não sabe o que significa. Demorei um tempo a explicar pras colegas mexicanas o que era a expressão “Nossa”, “Delícia”, e “Ai se eu te pego”, e elas acharam tudo o máximo.

Uma das paradas pra ouvir músicas típicas, e claro, AI SE EU TE PEGO

Com qual ninja você quer lutar?

Já que todo mundo aqui acha que sou chinesa, japonesa, coreana, enfim, resolvi entrar no clima e comprei uma fantasia de ninja, com direito a faixa no cabelo com bandeira do Japão, espada, tudo! Foi bem divertido! Apesar de eu achar que carnaval combina muito mais com calor, verão e com o clima latino, digamos, foi bem diferente e divertido. Nesses dias foi um carnaval mais tradicional e familiar (como disse a Mi aqui, o clima de micareta e suas consequências é totalmente improvável).

A cada "disfraze" criativo, pedíamos pra tirar uma foto;)

“De Ourinhos para Ourense…”
Visitamos no domingo as termas de Ourense, onde saem águas quentes de forma natural, e são consideradas terapêuticas, medicinais. Me banhei em algumas em que a água atingia uns 60º C. Algumas meninas francesas, italianas e inglesas ficaram com vergonha e nojinho, o que não acontece com as brasileiras, obviamente. Em compensação, havia várias espanholas mais velhas fazendo topless na maior liberdade.

As meninas mexicanas nas termas (antes de perceber que não se pode tirar foto!)

Foi a primeira experiência de viajar em excursão com outros intercambistas, dividir quarto com mais outras 11 pessoas e comer café da manhã em que se espera esquentar o leite. Foi divertido, mas já deu pra notar que se for viajar de turma grande assim, tem que ter paciência (esperar todo mundo chegar, todo mundo sair, todo mundo se arrumar, todo mundo comer) e seguir o roteiro pré-estabelecido. Viajar sozinho ou em poucos nesse aspecto é melhor: as decisões e os passeios são mais rápidos, e você mesmo faz o caminho e tem o tempo pra sentir a energia do lugar. No fim, tem que fazer de tudo né? Sozinho, acompanhado, em turma, dizer SIM e entrar no clima.

Viagem com uma galeeeraaa tem suas vantagens e seus perrengues...

Na quarta-feira, a Mi e eu vamos nos encontrar, e finalmente, viajaremos juntas. Vamos passar uns dias em Cádiz, onde encontraremos a brasileiríssima Luisa Nucada, e depois seguiremos para Sevilha. Qué pasemos bien!

Anúncios
Categorias: Uncategorized | Tags: , , , | 1 Comentário

Navegação de Posts

Uma opinião sobre ““Como assim, vocês não jogam o papel na privada?”

  1. muito legal, Dani!! aproveite muito!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: